Jair Bolsonaro – A correção do rumo e do futuro do país

Bolsonaro2Mais uma vez o país está mobilizado para eleger o presidente da República. Estamos provavelmente diante da disputa presidencial mais importante da história do país. Contra todos os prognósticos do senso comum que aguardavam a vitória de Bolsonaro logo no primeiro turno, mas surpreendentemente haverá um segundo turno, e tudo isso em meio a inúmeras denúncias de fraudes eleitorais, muitas delas registradas na polícia. Eleitores de diversas partes do país se queixaram nas redes sociais que o sistema da urna eletrônica não permitia votar no candidato Bolsonaro e que era difícil demonstrar a falha. Como o voto é secreto, os mesários e até a polícia não podiam acessar a cabine eletrônica para constatar as ocorrências, causando muita discussão e confusão.

Duas visões de mundo completamente opostas

De um lado temos o candidato de direita do Partido Social Liberal Jair Bolsonaro, que não responde a processos de corrupção e que alcançou a marca de 46,03% dos votos válidos e esteve perto de finalizar a disputa ainda no primeiro turno se houvesse alcançado 50% mais um voto. Bolsonaro ainda se recupera de um atentado a faca durante a campanha eleitoral, que quase lhe tirou a vida, perpetrado por um militante esquerdista. Bolsonaro defende um programa conservador nos costumes, com ampla proteção as famílias. Promete combater duramente a criminalidade, o crime organizado e equipar e valorizar as desgastadas forças policiais. Só em 2017 atingimos a terrível marca de 63 mil assassinatos por ano. Ele também defende um sistema de ensino não politizado, com ênfase na educação tradicional, científica e técnica. Promete reduzir o número de ministérios e empresas estatais e indicar para seu gerenciamento técnicos e especialistas, e assim, eliminar a nociva ingerência de partidos políticos. Defende a economia de mercado, a desestatização fechando ou privatizando pelo menos 50 empresas, a redução da carga tributária e a simplificação da apuração dos impostos. Tudo isso para alavancar nossa economia, atrair investidores externos e internos e aumentar a oferta de emprego em um país com cerca de 14 milhões de desempregados e mais 14 milhões de subempregados. Promete respeitar e cumprir a Constituição Federal.

De outro lado temos o candidato de esquerda do Partido dos Trabalhadores Fernando Haddad, que responde a 32 processos de corrupção e que apesar das inúmeras denúncias de corrupção contra seu partido logrou alcançar a incrível marca de 29,28% dos votos válidos. Haddad defende um programa socialista já bem conhecido que procura alterar os costumes familiares já estabelecidos com forte apoio a ideologia de gênero, inclusive nas escolas. Acena com a possibilidade de descriminalizar e regular o comércio de drogas. Planeja desmilitarizar a polícia e liberar criminosos, que segundo ele tenham cometido crimes menos graves. Promete incentivar a educação em todos os níveis, mas sempre explorando em seus programas as divisões sociais e étnicas, ao invés de unir as pessoas em torno de um propósito comum. Na economia acena com um programa de mais interferência do Estado na economia, investimentos públicos em obras paralisadas para combater o desemprego e também aumento de impostos para o setor exportador e sobre os lucros e dividendos de quem produz. Planeja criar um novo marco regulatório para comunicação social eletrônica, o que certamente aumentará o controle do Estado sobre a internet, rádio e tv. Planeja interferir na estrutura de funcionamento de todos os poderes da União, principalmente no judiciário por meio de um controle social, um eufemismo, que na realidade significa aparelhamento dos poderes, ou seja, infiltração de militantes ideologicamente alinhados com o partido. Planeja também criar uma nova constituição, embora não exista apoio popular e nem ambiente político para isso.

O ineditismo deste confronto já é dramático por opor duas visões de mundo completamente opostas, e se amplia ainda mais quando se verifica que os governos petistas estiveram envolvidos em inúmeras denúncias e processos de corrupção. Vários de seus membros ainda estão enfrentando processos na justiça, outros estão presos, inclusive o ex-presidente Lula. Uma ex-presidente, Dilma Rousseff, foi impedida em 2016 pelo Congresso Nacional por ter ocultado a real situação financeira do país e por melhorar artificialmente seu desempenho, ao utilizar os bancos públicos para obter recursos adicionais sem autorização do Congresso Nacional para financiar as despesas governamentais, procedimento totalmente em desacordo com a lei de responsabilidade fiscal, situação que ficou conhecida como pedaladas fiscais.

Segundo dados da Globo e do portal do Tribunal de Contas a prática das pedaladas somaram R$ 12,98 bilhões no fim de 2010 – primeiro ano do mandato de Dilma, avançando para R$ 19,7 bilhões em dezembro de 2012. No fechamento de 2013 e de 2014, por sua vez, o atraso nesses pagamentos saltou para R$ 36,07 bilhões e R$ 52 bilhões, respectivamente. Em novembro de 2015, o passivo do governo com bancos públicos somava R$ 58,68 bilhões.

Programa organizado de corrupção

Os prejuízos causados ao país pelos governos petistas foram imensos, provocou o desinvestimento, afugentou empresas, investidores e ainda mergulhou o país em uma forte recessão, na medida em que as ocorrências se tornavam públicas. Segundo dados do Tribunal de Contas da União revelados por Ronaldo Caiado em junho de 2016, somente os empréstimos por meio do BNDES para os países socialistas e comunistas alinhados ideologicamente com o Partido dos Trabalhadores, tais como, Angola, Cuba e Venezuela, entre outros, atingiu a incrível cifra de R$ 50,5 bilhões de reais.

Como se não bastasse, as investigações conjuntas do Ministério Público e Polícia Federal nas Operações Lava Jato do Paraná e Rio de Janeiro resultaram em condenações judiciais que juntas já solicitaram ressarcimento da ordem de R$ 40,4 bilhões de reais relativos a prejuízos causados a empresas públicas, principalmente a Petrobrás. O esquema se baseava na cobrança de propinas sobre os valores dos contratos assinados com empresas do setor privado. E ainda há muito que descobrir.

Segundo publicação do Jornal do Comércio, referente aos resultados de 2015, somente os fundos de pensão da CEF, Petrobrás, Banco do Brasil e Correios, registraram déficit de R$ 48,7 bilhões, diante de um total geral de R$ 77,8 bilhões de resultado negativo de todo o sistema de Fundos de Pensão do País. A Polícia Federal informou que em 8 de cada 10 casos analisados foram realizados investimentos com recursos dos fundos de forma temerária ou fraudulenta, provocando prejuízos irreparáveis aos trabalhadores destas empresas.

Havia, portanto, um extenso programa organizado de corrupção para cobrança de propinas e desvio de dinheiro em que o Partido e vários de seus membros e aliados foram beneficiados, o que caracteriza as atividades de uma verdadeira organização criminosa. Difícil entender porque após a revelação e comprovação de tantas fraudes a Justiça Eleitoral não cassou o registro do partido dos trabalhadores e de seus cúmplices nos desvios. Partidos aliados do PT, que operavam na administração de Estatais como o PMDB (atual MDB) e o PP também envolvidos nos crimes estão operando normalmente e participando ativamente do processo eleitoral como se nada houvesse acontecido.

A dificuldade de processar o PT

Segunda dados da Rede Globo, durante os treze anos de governos petistas, Lula e Dilma indicaram 13 ministros para o STF – Supremo Tribunal Federal. Dos 11 ministros atuais 7 foram indicados pelo PT. Das 33 cadeiras do STJ – Superior Tribunal de Justiça 28 juízes foram indicados pelo PT. De um total de 141 juízes desembargadores 92 foram indicados pelo PT. Somente no Tribunal Regional Federal – TRF4 dos 27 integrantes, 22 foram indicados pelo PT. Estes números podem revelar porque é tão difícil processar os crimes de membros do PT, mas apesar de tudo os procedimentos judiciais lograram avançar. Entre presos, condenados e investigados na operação Lava Jato somente do PT há 2 ex-presidentes, 11 ex-ministros, 4 ex-presidentes do partido e 3 tesoureiros, o que reforça a convicção do Ministério Público de que não se tratava de atos isolados, mas de um processo sistêmico de crimes que caracteriza as organizações criminosas.

Os desafios a serem enfrentados

Jair Bolsonaro se apresenta como o candidato que promete quebrar o sistema corrupto vigente e se propõe ao desafio de varrer a velha política dos conchavos e da corrupção do poder. Afastar o fantasma do comunismo e do socialismo que estava se apoderando do país em colaboração com uma gangue de políticos corruptos interessados apenas em vantagens financeiras. Pretende unir o país sem nenhum tipo de discriminação com relação a origem social, raça, sexo e religião e trazer de volta valores fundamentais, como a honestidade, a competência, o patriotismo e a meritocracia. O trabalho será imenso, as instituições estão largamente infiltradas, aparelhadas com militantes ideologicamente alinhados com o PT e seus aliados.

No campo social o trabalho também será enorme, o país foi muito prejudicado pelo PT que forçou a divisão do país ao explorar a vitimização, a inveja e a desunião, jogando propositalmente as pessoas umas contra as outras e se apresentando como aquele que poderia trazer solução aos problemas criados. Dessa forma, por meio da manipulação abriu espaço para se infiltrar politicamente na sociedade e ampliar seu poder. Em seus programas e discursos é fácil verificar o incentivo a divisão social e a luta de classes: brancos contra negros, ricos contra pobres, homens contra mulheres, heterossexuais contra homossexuais e por aí vai. Além de praticar uma política equivocada e criminosa de direitos humanos que beneficiou largamente os criminosos, ao invés das vítimas e da população honesta.  O partido se especializou em criar e disseminar os conflitos de seu interesse, manipulando e articulando para corroer nossa organização social e gerar dependência constante do Estado. Esta forma de agir são táticas e recursos do marxismo cultural que visa implodir a sociedade por dentro para facilitar a tomada total do poder e a implantação da ditadura comunista, regime no qual todos são pobres e escravos do Estado. Não faltam exemplos do caos provocado por governos comunistas na história da humanidade.

Raimundo Oliveira

Cientista Social

 

Referências:

Site do PSL Nacional e respectivas propostas:

https://www.pslnacional.org.br/pagina/em-que-acreditamos

Site Conexão Política e os projetos do deputado Bolsonaro:

https://conexaopolitica.com.br/politica/bolsonaro-conheca-os-mais-de-630-projetos-de-lei-do-deputado/

Site da Câmara com os projetos e proposições do deputado:

http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_lista.asp?Autor=5310721&Limite=N

Sites do Ministério Público com dados da Operação Lava Jato:

http://www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/caso-lava-jato/atuacao-na-1a-instancia/atuacao-na-1a-instancia/parana/resultado

http://www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/caso-lava-jato/atuacao-na-1a-instancia/rio-de-janeiro/resultados

Denúncia do Senador Ronaldo Caiado sobre as transferências ao exterior via BNDES:

https://www.youtube.com/watch?v=82vrqp3YiQU

Marxismo Cultural. Táticas para implantar o Socialismo no Brasil:

https://politicalchallenges.com/2016/09/02/como-implantar-o-socialismo-no-brasil-estrategia-e-taticas-do-petismo-e-de-seus-aliados-comunistas/#more-816

Jornal do Comércio – Fundos de Pensão:

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/2016/09/economia/519563-fundos-de-pensao-investigados-pela-pf-respondem-por-62-6-do-rombo-do-sistema.html

Apuração dos votos TSE:

http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2018/Outubro/concluida-totalizacao-de-votos-do-1o-turno-das-eleicoes-2018

Vídeo do jornal nacional entrevista com Haddad:

https://globoplay.globo.com/v/7019914/

Desemprego e subutilização da força de trabalho IBGE:

https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/21246-pnad-continua-tri-taxa-de-subutilizacao-da-forca-de-trabalho-e-de-24-7-no-primeiro-tri-de-2018

Haddad – Processos de Corrupção:

https://istoe.com.br/uma-extensa-ficha-corrida/

Pedaladas fiscais:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/04/pedaladas-se-aceleraram-no-governo-dilma-e-chegaram-ate-2015-aponta-bc.html

https://portal.tcu.gov.br/imprensa/noticias/tcu-recomenda-reprovacao-das-contas-de-2015-da-presidente-da-republica-1.htm

Sobre Oliveira

I'm a Social Scientist interested to study and provide analysis of global relevant issues. I'm bachelor in Social Sciences at Federal Fluminense University, and also earned Logistics degree from Paulista University and postgraduate in Business Management at INPG / Castelo Branco University, Brazil. For professional contact send an email to rrsoliveira@hotmail.com
Esse post foi publicado em Política Nacional e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma réplica

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s